Em ato humanitário, Rodoviários mostram porque a classe é considerada essencial.

Um gesto simples, protagonizado por dois Rodoviários, na manhã de 26 de agosto, ganhou repercussão pela grandeza humanitária. O cobrador de ônibus Jean Gutierres, de 24 anos, encontrou no chão do veículo uma carteira com R$ 850 e começou a procurar pela dona do dinheiro.
A aposentada Irizema Alfrigui, de 71 aos, não percebeu que havia perdido a carteira. Somente depois do contato de Jean que ela se deu conta da perda.

“Achei a quantia em dinheiro e levei para o fiscal. Na conversa com ele, achamos o número dela enfiado em um canto da carteira”, esclareceu o cobrador.

FAZER O BEM, SEM OLHAR A QUEM

Para localizar a idosa, Jean contou com a ajuda do motorista do ônibus Rogil Manetti, de 38 anos. Os dois são funcionários da Viação Nossa Senhora Conquistadora, integrante do Consórcio do Transporte Coletivo de Pelotas (CTCP).
“O que importa para nós é pensar no lugar do outro. Se eu perco e outra pessoa achasse, entendeu? Eu gostaria muito que a pessoa fizesse o mesmo e devolvesse para mim, assim como nós temos o trabalho aqui de fazer o mesmo pelos nossos passageiros”, diz Jean.

A aposentada quis retribuir o gesto oferecendo R$ 50 aos dois, que não aceitaram. Ela pretende convidá-los para um churrasco, depois que passar o pior da pandemia.
Sócios do Sindicato, Rogil é filiado desde 28 de maio de 2010 e Jean desde 4 de abril de 2019. A atitude honrosa deles confirma porque a categoria rodoviária é considerada essencial para a sociedade.

CATEGORIA ESSENCIAL

Claudiomiro do Amaral, presidente do Sindicato dos Rodoviários de Pelotas (STTRP), foi pessoalmente declarar o orgulho da classe pelo ato de grandeza dos trabalhadores. Ele destacou que não há um dia sequer em que o motorista de ônibus ou o cobrador, ou mesmo o mecânico, possam ser dispensados de suas funções. “Porque depende deles o deslocamento diário da população, para seus empregos, estudos, tratamentos, compras e outras atividades”, frisa o sindicalista.

Para o presidente do STTRP, a pandemia da Covid-19 revelou a importância das instituições e profissionais. O SUS, por exemplo, antes tão criticado, passou a ser admirado. “Os profissionais da saúde se tornaram verdadeiros heróis. E nós, Rodoviários, passamos a ser vistos com mais respeito”, disse.

“As pessoas nos enxergam agora com outros olhos e identificam nosso papel na roda econômica e social da nação”, resume Claudiomiro, que vê com alegria o reconhecimento do caráter essencial da atividade durante todo o período de quarentena e pandemia, por ajudar a garantir o funcionamento de outras atividades também essenciais, como supermercados, hospitais e farmácias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

20 − vinte =