Sindicato e Consórcio não chegam a acordo na primeira rodada da negociação

A primeira reunião entre a direção do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Pelotas e Região (STTRP) e os representantes do Consórcio do Transporte Coletivo de Pelotas (CTCP) para discutir a convenção coletiva de 2024 dos trabalhadores do transporte urbano e interdistrital, realizada na segunda-feira (29), terminou sem acordo. A direção do Sindicato busca, agora, uma reunião com a prefeita Paula Mascarenhas para explicar a posição da categoria diante das negociações.

“A reunião foi frustrada, pois ainda não temos um índice de reajuste e também pela planilha de custos ainda estar em desenvolvimento, então a patronal não se posicionou. A partir disso estamos pedindo uma reunião com a prefeita para colocá-la a par das negociações, especialmente sobre o pedido de criação de um enquadramento que contemple os motoristas que trabalham sem cobradores. Estamos procurando a Secretaria de Transportes e Trânsito, a classe patronal e agora a prefeita, para que possamos juntos construir essa alternativa”, explica o presidente Claudiomiro do Amaral.

O presidente ressalta a necessidade de valorização dos motoristas, que desde as mudanças na forma de cobrança das tarifas passaram a trabalhar sozinhos, acumulando funções. “A tarefa de dirigir já é estressante e exige atenção constante, quando esse trabalhador precisa se preocupar em receber valores, fazer o troco e atender passageiros com dificuldades de mobilidade sozinho, é inevitável que a carga de estresse e o desgaste aumentem. É preciso reconhecer e compensar isso de alguma forma”, diz Amaral.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =